Espaço.Pub
Novo endereço, acesse… www.fernandopaes.ppg.br/blog

A locomotiva do Google.

Vai aí uma perguntinha, qual é a locomotiva financeira do Google? A busca? O Gmail? Nãnaninanão. É o Adwords. Sim, é ele quem gera dinheiro pro google, visto que a maioria dos serviços por ele oferecidos são gratuítos.

Você deve estar pensando que nunca utilizou o Adwords antes, certo? Errado, provavelmente você já o utilizou mas não sabia e nem pagou por isto diretamente. Vou exclarecer e voltar no tempo.

Quando ocorreu a primeira bolha da internet em 2001, ela estourou pois o valor das empresas virtuais estavam extremamente altas para um retorno ridículo financeiramente, ou seja, muitos investiram milhões de dólares em empresas que nunca dariam retorno financeiro, e foi aí que muitos viram suas fortunas virarem lixo. BUM. A bolha estourou.

Depois disto, as poucas empresas que conseguiram sobreviver começaram a repensar seus sistemas de negócios na web. E foi o Google quem teve a grande sacada. Ele já estava se distacando no mercado de buscas online, bricando com grandes como Altavista, Yahoo e Microsoft, até que lançou o Adwords. Um sistema inédito de anúncios pela web, 100% em textos onde o anunciante pagaria apenas quando realmente tivesse o retorno esperado. Dificil? Nem tanto. Vejam só a sacada deles.

Você tem uma empresa que possui um site na internet. Até então como você poderia anunciar em grandes portais? Você ia lá, comprava 100 mil exibições do seu banner ou pop-up, e o portal veiculava 100 mil vezes o seu material. Este modelo é muito semelhante ao que se vê até hoje no rádio e na TV, em que você paga X por Y exposição e não sabe realmente se deu resultado ou não.

Ou seja, das 100 mil exibições, você poderia receber apenas 5 visitas ao seu site e nenhum deles comprar nada nele, ou seja, seu retorno foi zero.

E o que tinha de tão revolucionário no sistema do Google? Simples, você não pagaria por exibições, e sim por cliques, e o melhor, você definiria o valor que você iria pagar, definiria aonde ele iria aparecer, o texto que iria utilizar, período em que estaria visível e outras filtros que você não tinha.

Tá, mas isso só complica!

Engano seu. Veja, se você vai pagar somente pelas visitas que recebe, você não iria pagar pelas 100 mil exibições, apenas pelas 5 visitas que você recebeu. Imagine o tamanho da economia que você faz. E outra, você pode falar para o sistema assim: Quero que apareça somente quando o usuário estiver procurando o meu produto.

Vamos para um exemplo. Sua empresa vende desintupidores de privada. Em vez de você anunciar na capa do UOL por exemplo, pode anunciar no resultado das buscas do Google somente quando alguém buscar “Desintupidores”. A possibilidade de você receber a visita desta pessoa e concretizar o negócio é infinitamente maior do que se você anunciar na capa do portal citado. Concorda agora?

Eles diferenciaram o modelo de negócio para a internet. E para monetarizar ainda mais o sistema, eles se inspiraram em um sistema de leilão, ou seja, você escolhe as palavras que estão ligadas ao seu sistema de negócio e diz quanto quer pagar pelas palavras. No exemplo citado podemos escolher as seguintes palavras: “Desintupidor” e “Privada” e definir que você vai pagar R$ 0,50 (cinquenta centavos) por clique que seu anúncio tiver. Beleza. Se você tiver 100 cliques em um mês, você paga 50 reais. Porém, se seu concorrente também quiser anunciar lá e oferecer R$ 1,00 (um real) por clique, ele vai aparecer em uma colocação melhor que a sua, ou seja, é bem possível que o possível cliente clique no link dele primeiro e efetue a compra no seu concorrente.

E desta forma, os valores das palavras vão aumentando. Veja uma palavra como “Luxo”, pode custar R$ 50 reais o clique. O céu é o limite.

É ou não é brilhante.

É claro que os concorrentes do Google acordaram e já desenvolveram suas plataformas de anúncios, o Yahoo com seu Marketing Searching, e a Microsoft com seu Digital Advertising Solutions. O problema é que quando eles acordaram para o mundo, o Google já abocanhava BILHÕES de dólares em receitas publicitárias e já possuía uma rede de parcerios gigantesca.

Se não bastasse este novo modelo de negócio, o Google não se contentou em apenas colocar em suas buscas os anúncios de textos, fechou então parcerias com gigantes da internet como a AOL e UOL (no Brasil), e liberou um outra ferramenta o Adsense, com esta ferramente qualquer pessoa pode colocar em seu blog ou site anúncios do Google e ainda receber dinheiro.

Veja, se eu colocar aqui no blog esta ferramenta e todo dia umas cinco pessoas clicarem em anúncios aqui no blog, eu irei receber uma porcentagem do que as empresas pagaram para o Google pelos cliques. Ou seja, não tive trabalho nenhum e ganhei dinheiro. Fui apenas um canal de divulgação para o cliente do Google e estou sendo recompensado com isto.

Desta forma, a base de parceiros do Google cresce sem parar, os cliques nos anúncios também, a venda dos clientes também e o lucro da gigante de busca bate records ano a ano.

Moral da História: Basta ter uma idéia genial para ficar rico. Alguém tem uma aí para me emprestar? Eu prometo que devolvo depois que eu conseguir alguns milhões.

Abs…

%d blogueiros gostam disto: